CEDEAO recomendada a criar centro regional de controlo de doenças

Abuja, Nigéria (PANA) - Um centro regional para o controlo das doenças na região oeste-africana será criado brevemente se os chefes de Estados da região ratificarem as recomendações do Conselho de Ministros da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) que organizou durante três dias uma reunião em Abuja, na Nigéria, soube a PANA.

A recomendação para a criação deste centro é uma das decisões chaves saídas do Conselho de Ministros durante a sua reunião de três dias (9, 10 e 11) que decorreu na capital nigeriana com o objetivo de preparar a Cimeira da CEDEAO, prevista para segunda-feira próxima em Abuja.

O projeto para o estabelecimento dum centro regional para o controlo das doenças decorre da necessidade da organização subregional de se equipar mais para fazer face às epidemias de envergadura depois do surto do Ébola que matou seis mil pessoas, cuja maioria é originária da região oeste-africana.

Durante esta reunião preparatória da Cimeira, o Conselho exortou a CEDEAO a tomar as medidas necessárias com vista a ajudar a levantar as interdições de viagem nos países-membros afetados pelo vírus do Ébola.

Várias companhias aéreas suspenderam os seus voos nos três países afetados pelo vírus do Ébola (Guiné Conakry, Serra Leoa e Libéria), uma situação que afeta os esforços empreendidos para lutar contra a epidemia.

Esta medida obrigou vários participantes que vieram ao Conselho de Ministros em Abuja a passar por Marrocos para viajar até a Nigéria, levando vários dias numa viagem que, em condições normais, apenas deveria durar algumas horas.

As recomendações do Conselho de Ministros da CEDEAO durante a sua reunião serão submetidas à aprovação dos chefes de Estado e de Governo que devem reunir-se em Abuja na segunda-feira próxima.

O presidente do Conselho de Ministros, Hanna Serwaah Tetteh, exprimiu o seu otimismo em ver a epidemia de Ébola desaparecer, particularmente nos principais país afetados.

Falando no encerramento da reunião do Conselho de Ministros, Tetteh, ministro ganense dos Negócios Estrangeiros, declarou que a doença atingiu um ponto "em que se pode ver o vento virar a nosso favor".

-0- PANA SEG/VAO/BAD/IS/IBA/MAR/TON 12dez2014


12 Dezembro 2014 18:32:05


xhtml CSS