CEDEAO pretende lançar moeda comum

Niamey, Níger (PANA) - O Chefe do Estado do Gana e Presidente em exercício da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), John Dramani Mahama, defendeu em Niamey, a capital do Níger, a realização de critérios de convergência para a criação efetiva duma moeda única até 2020.

John Dramani Mahama, que efetuou segunda-feira uma visita de trabalho a Niamey no quadro da terceira reunião do grupo de trabalho presidencial sobre o estado da convergência monetária no seio do espaço da CEDEAO, afirmou que a dificuldade residia nos países estão fora duma união monetária como a Nigéria, a Libéria, a Serra Leoa e o Gana.

Ele indicou que "devemos trabalhar para a realização dos critérios de convergência definidos durante a conferência dos Chefes de Estados e de Governos para o funcionamento efetivo para a moeda única até 2020".

O Presidente nigerino, Mahamadou Issoufou, e o seu homólogo ganense foram designados pelos seus pares no termo da Cimeira Extraordinária da CEDEAO, em outubro de 2013 em Dakar (Senegal), para supervisionar o acompanhamento da criação da moeda única nos prazos previstos.

O objetivo da reunião de Niamey é fazer o balanço do plano de criação até 2020 da moeda única da CEDEAO, discutir uma proposta da Comissão da CEDEAO sobre a criação até 2018 dum Instituto Monetário da CEDEAO e examinar as preocupações levantadas pelo Conselho de Convergência da ZMAO sobre os critérios de convergência revistos e adotados.

Os dois Chefes de Estados mantiveram uma reunião à porta fechada depois duma sessão de trabalho alargada às duas delegações.

O Presidente Issoufou explicou que, depois da Cimeira de Dakar, o seu homólogo ganense e ele instauraram um comité de peritos para os ajudar no plano técnico na execução deste projeto ambicioso cujo objetivo é reforçar e aumentar as trocas económicas e as transações financeiras entre os países da África Ocidental.

Para acelerar a realização do projeto, os dois Chefes de Estados decidiram associar-se a estes comités de peritos e à Comissão da CEDEAO.

Nesta visão e sob a liderança da CEDEAO foi instaurada uma "task force" encarregue de aprofundar as reflexões sobre a moeda única no espaço comunitário.

A task force manteve três reuniões em Niamey e em Accra, sancionadas por um plano e as modalidades de fusão da Agência Monetária da África Ocidental (AMAO) e do Instituto Monetário da África Ocidental (IMAO) e a criação do Instituto Monetário da CEDEAO até 2018.

Em relação aos critérios de convergência, o Presidente nigerino precisou que no início havia 11 critérios, mas a organização permitiu reduzí-los para três de primeira categoria e três outros de segunda categoria.

Segundo o Chefe de Estado nigerino, a task force trabalha através duma série de reuniões que permitem a tomada de decisões que foram submetidas à Conferência dos Chefes de Estados e de Governos organizada em Yamoussoukro, na Côte d'Ivoire.

Entre as decisões ratificadas durante esta conferência figuram o abandono da abordagem a duas velocidades para a criação da moeda única, a adoção da abordagem progressiva modificada para a moeda única, a organização dos critérios de convergência, a racionalização dos órgãos e instituições que concorrem para a criação da moeda única - a AMAO e o IMAO - e o engajemnto firme dos Chefes de Estados para rever o plano para que a moeda única possa ser efetiva até 2020.

-0-   PANA SA/JSG/IBA/MAR/TON   10fevereiro2015

10 Fevereiro 2015 17:50:05




xhtml CSS