CEDEAO pede contributo de Exército na luta contra Ébola

Accra, Gana (PANA) – A Comissão da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) instou as forças de defesa dos seus Estados membros a contribuirem para vencer a doença hemorrágica do vírus de Ébola que já matou mais de duas mil pessoas dos quatro mil casos registados na região desde dezembro de 2013.

O apelo foi lançado terça-feira em Accra, no Gana, pela comissária para os Assuntos Políticos, Paz e Segurança, Salamatu Hussaini Suleiman, no quadro duma reunião dos chefes de Estado-Maior da Defesa oeste-africanos que decorre sob a égide do Comité dos Chefes de Estado Maior da CEDEAO (CCDS).

Segundo ela, a epidemia de Ébola, « se não for gerido corretamente terá consequências devastadoras para o desenvolvimento da região ».

Por conseguinte, a comissária exige « esforços coletivos relativamente à ajuda e o apoio aos Estados membros cujas populações estão confrontadas com a ameaça desta doença perigosa ».

Apresentou ainda diferentes medidas de intervenção tomadas pela Comissão para combater a doença, nomeadamente a instauração dum Fundo de Solidariedade e colaborações com parceiros multiparceiros.

Suleiman notou que a região foi nos últimos dois anos palco de crises de grande envergadura no Mali e na Guiné-Bissau mas igualmente do terrorismo, da pirataria e de outros atos criminosos no Golfo da Guiné.

Prestou homeagem ao presidente cessante do CCDS, o general Soumaila Bakayoko da Côte      d´Ivoire, « que desempenhou um papel essencial em termos de supervisão das intervenções para a resolução destas crises ».

A comissária desejou igualmente  as boas vindas ao novo presidente do CCDS, o almirante Mathew Quashie do Gana.

Dando o pontapé de saída à reunião, o ministro da Defesa do Gana, Benjamin Kubuor, descreveu a ameaça de Ébola como uma « situação muito preocupante que requer esforços coletivos de todos ».

« É por esta razão, disse, que o presidente em exercício da CEDEAO, a sua excelência John Dramani Mahama (atual Presidente do Gana), fez de Accra o ponto de distribuição do apoio na luta contra o Ébola na sub-região », acrescentou.

« É igualmente uma ocasião para vocês os responsáveis do Exército utilizarem este fórum a fim de discutir sobre modalidades da ajuda a levar à população civil, bem como elaborarem estratégias para conter a propagação deste vírus », disse.

Durante a cerimónia de abertura desta reunião de três dias, o general Hassan Mamman Lai da Nigéria, o primeiro chefe de Estado-Maior da Força à Espera da CEDEAO, foi condecorado no termo da missão, com a Medalha de Honra relativos aos sete anos passados ao serviço da comunidade.

Sob o lema « Reforço da Cooperação Militar no Espaço da CEDEAO para a Paz, Estabilidade e Desenvolvimento », o encontro passa em revista a situação de segurança geral na região e determina as reações adequadas a levar.

Além disso, uma reunião dos chefes de Estado-Maior da Marinha do Benin, do Níger, da Nigéria e do Togo decorreu igualmente à margem da reunião do CCDS para discutir sobre a operacionalização da zona modelo.

Um centro de coordenação marítima interregional será inaugurada nesse 11 de setembro de 2014 em Yaoundé, nos Camarões, em conformidade com as decisões dos chefes de Estado da CEDEAO e da Comunidade Económica dos Estados da África Central (CCEAC) durante a reunião conjunta de junho passado, no quadro dos esforços de luta contra a pirataria e outros crimes nestas diferentes regiões.

-0- PANA SEG/NFB/BEH/IBA/MAR/DD 11set2014


11 Setembro 2014 11:32:19




xhtml CSS