CEDEAO e USAID reforçam cooperação

Abuja, Nigéria (PANA) - A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) e a Agência Americana para o Desenvolvimento Internacional (USAID) decidiram reforçar a cooperação nos domínios da prestação dos cuidados médicos, do comércio e do desenvolvimento agrícola, bem como da paz e da segurança regionais.

Recebendo uma delegação do Escritório Regional da África Ocidental da USAID e da Embaixada americana na Nigéria, o vice-presidente da Comissão da CEDEAO, Togo Mcintosh, agradeceu ao Governo americano e a outros parceiros no desenvolvimento o seu apoio acrescido à "promoção dum desenvolvimento baseado nas pessoas e na integração regional".

Ele declarou que, enquanto parceiro viável, a USAID apoiou a CEDEAO na execução do seu mandato na região confrontada com vários problemas de desenvolvimento.

Ele acrescentou que as contribuições desta agência são fruto de diversos protocolos de entendimento relativos a programas de desenvolvimento, de reforço das capacidades e de defesa para outros doadores, entre outros.

Mcintosh garantiu aos parceiros no desenvolvimento da CEDEAO que, nas reformas institucionais, a nova equipa dirigente da Comissão deu uma grande prioridade à prestação de contas.

Ele acrescentou que as sugestões serão  bem-vindas para permitir satisfazer as exigências dos doadores de fundos e responder às espetativas elevadas dos países membros beneficiários e da comunidade dos cidadãos.

Por sua vez, o diretor da USAID e do Escritório Regional da agricultura para a África Ocidental, Candace Buzzard, e James P. McAnulty, adjunto ao chefe da missão na Embaixada americana na Nigéria, sublinharam a importância e as vantagens das relações seculares com a CEDEAO.

Eles exprimiram a necessidade de reforçar a cooperação e realçaram a vontade da CEDEAO de organizar  uma conferência sobre a segurança alimentar e o comércio na região oeste-africana.

Os Estados Unidos gastam anualmente milhões de dólares americanos para garantir a ajuda alimentar no mundo e, nos próximos anos, a assistência da USAID à África Ocidental, graças à parceria com a CEDEAO, vai versaar sobre o reforço da resilência dos beneficiários, de acordo com Buzzard.

A delegação americana notou igualmente algumas dificuldades ligadas ao comércio e à livre circulação de bens e serviços na região, o que, segundo a garantia dada por Mcintosh, está a ser superado ao mais alto nível da CEDEAO.

-0- PANA PR/VAO/ASA/AAS/SOC/MAR/DD 07setembro2012

07 Setembro 2012 14:24:38




xhtml CSS