CEDEAO defende medidas contra impacto negativo de Ébola em mulheres na região

Abuja, Nigéria (PANA) - Os ministros encarregues da Promoção da Mulher dos países membros da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) exprimiram o engajamento total na erradicação completa do vírus de Ébola na região graças a diversas medidas, indicou terça-feira a Comissão desta organização.

A Comissão declarou que este outras medidas figuram a redução das consequências socioeconómicas, humanitárias, de segurança e culturais desta doença nas mulheres durante uma reunião organizada pela Comissão da CEDEAO, sob o lema "Género e Ébola, o Impacto da Doença nas Mulheres na África Ocidental".

Durante o encontro decorrido por ocasião da 59ª Sessão da Comissão das Nações Unidas sobre a Condição da Mulher assinalada a 13 de março corrente em Nova Iorque, os participantes deploraram os efeitos negativos da doença nos progressos realizados para a igualdade dos sexos e a integração regional.

Eles notaram que as mulheres e as crianças são entre os grupos mais expostos e vulneráveis à doença e sublinharam a necessidade de reforçar as medidas de resposta ao mesmo tempo ao nível da conceção de estratégia e da sua aplicação.

Os ministros sublinharam a importância da dimensão da integração do género na luta contra o vírus Ébola, que fez cerca dez mil mortos dos 23 mil casos assinalados, principalmente em três países oeste-africanos que são a Guiné Conakry, a Libéria e a Serra Leoa.

Defenderam igualmente a criação duma sinergia de ações coordenadas e harmonizadas através dum mecanismo nacional de promoção do género, no quadro do plano de intervenção da CEDEAO contra o vírus Ébola.

-0- PANA SEG/MTA/TBM/MAR/DD 18março2015

18 Março 2015 10:33:10




xhtml CSS