CEDEAO confirma "transparência" das eleições na Nigéria

Abuja- Nigéria (PANA) -- A Missão de Observação da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) ratificou as eleições legislativas e presidenciais realizadas de 12 a 19 de Abril na Nigéria, considerando-as "livres, justas e transparentes".
No seu relatório final divulgado terça-feira em Abuja (Nigéria), a missão da CEDEAO sublinha que os resultados do escrutínio "reflectem a vontade do povo nigeriano expressa livremente através das eleições".
A missão, que supervisionou o escrutínio em 10 dos 36 Estados da federação nigeriana, deu a conhecer que o voto decorreu "de acordo com a letra e o espírito da lei eleitoral e das suas disposições regulamentares".
Os membros da missão notaram entretanto, em certos casos, a chegada tardia do material, o atraso registado no arranque das eleições, a indisponibilidade de meios de transporte para se encaminhar o material eleitoral, a fraca representatividade ou a ausência dos partidos minoritários nos postos de voto, bem como a presença excessiva da polícia nas urnas.
Os observadores da Commonwealth e da União Africana (UA) também fizeram uma análise indêntica sobre o desenrolar dos diferentes escrutínios, enquanto a União europeia (UE) afirma que o voto foi manchado por irregularidades.
A oposição nigeriana acusa o "Peoples Democratic Party" (Partido Democrático popular - PDP, no poder) de ter falseado as eleições.
Segundo os resultados oficiais publicados pela Comissão Nacional Eleitoral Independente (CENI), o presidente cessante, Olusegun Obasanjo, é o vencedor das eleições com 62 por cento dos sufrágios.

30 أبريل 2003 13:08:00




xhtml CSS