CEDEAO condena discurso agressivo contra cidadãos oeste-africanos na Côte d'Ivoire

Abuja, Nigéria (PANA) – A Comissão da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) condenou o « discurso incendiário » contra cidadãos dos Estados-membros desta organização sub-regional na Côte d'Ivoire, cuja crise pós-eleitoral, iniciada nos finais do ano passado, já fez 400 mortos e obrigou centenas de milhares de pessoas a fugir para os países vizinhos.

Esta condenação está contida numa carta enviada ao Presidente ivoiriense cessante, Laurent Gbagbo, pelo presidente da Comissão da CEDEAO, James Victor Gbeho.

A carta lembra a Gbagbo, que é também o líder da Frente Popular Ivoiriense (FPI, no poder), a sua responsabilidade pessoal de garantir a segurança dos civis residentes nas zonas sob o seu controlo independentemente do seu Estado de origem.

Gbeho fazia referência ao recente « discurso de propaganda » de Blé Goudé, o ministro da Juventude do Governo de Gbagbo e líder do movimento "Jovens Patriotas", incitando os seus apoiantes a pegar em armas contra os cidadãos dos outros países-membros da CEDEAO e acusando alguns Estados da região de fornecer mercenários à oposição na crise ivoiriense.

« A Comissão da CEDEAO desaprova fortemente este vitriólico discurso de ódio e leva a sério os apelos para a agressão contra cidadãos inocentes de outros países residentes na Côte d'Ivoire », escreve o presidente desta estutura numa carta de duas páginas em que ele lembra igualmente ao Presidente cessante a sua responsabilidade de garantir a paz e a segurança nas zonas sob o seu controlo.

Ele afirma também que « este ato inaceitável » ocorre na sequência doutros atos graves de violência que fizeram várias vítimas e exorta-o a  "dissuadir pessoalmente o seu ministro e os seus outros  apoiantes de cometer outras ações de provocação e da tentação de tomar deliberadamente como alvo a população ivoiriense, incluindo Ivoirienses, cidadãos da CEDEAO e outros estrangeiros instalados no país".

O presidente da Comissão da CEDEAO informou depois Gbagbo de que a CEDEAO e a União Africana (UA) esperavam tomar medidas urgentes muito em breve para começar a aplicar a decisão do Conselho de Paz e Segurança da UA tomada durante a sua reunião de 10 de março de 2011 em Addis Abeba, na Etiópia, sobre a situação na Côte d'Ivoire.

Ele lançou depois um « fervente apelo » ao Presidente cessante e a todas as partes ivoirienses para pedir aos seus apoiantes para demonstrar um máximo de moderação e abster-se de qualquer ato que possa agravar cada vez mais a segurança precária no país.

« Neste sentido, eu gostaria de lembrar a todos os interessados a sua responsabilidade individual e coletiva pelos crimes cometidos contra civis desarmados », concluiu o presidente da Comissão da CEDEAO.

-0- PANA SEG/NFB/JSG/FK/IZ 24março2011

24 Março 2011 15:26:39




xhtml CSS