Burundi acusado de dissolver seus problemas internos com missões de paz fora

Bruxelas, Bélgica (PANA) - O Parlamento europeu acusa o Burundi de utilizar a presença dos seis soldados em missões de paz para dissolver seus problemas internos, nomeadamente "a intimidação, a repressão e perseguição de jornalistas e dos defensores dos direitos humanos".

Durante uma sessão quinta-feira, os eurodeputados adotaram uma resolução na qual fazem estas acusações, exortando no entanto o Burundi a garantir o respeito pelo Estado de Direito e dos direitos humanos, como os à liberdade de expressão e de imprensa.

Também chamaram o Governo burundês a pôr termo "instantemente" a qualquer pagamento das tropas burundesas em missões de manutenção da paz das Nações Unidas e da União Africana.

Lançou um apelo a todos os Governos da região para que se certifiquem de que o regresso dos refugiados no Burundi se faça de maneira voluntária, com base em decisões tomadas em pleno conhecimento de causa e com segurança e dignidade.

Relatórios oficiais estimam em mais de 400 mil o número de refugiados burundeses que deixaram o seu país desde que o Presidente da República, Pierre Nkurunziza, havia anunciado a sua candidatura a um terceiro mandato à frente do país.

Os refugiados burundeses foram acolhidos principalmente na República Democrática do Congo (RDC), no Rwanda, na Tanzânia e no Uganda.

-0-PANA AK/BEH/MAR/DD 06jul2018

06 Julho 2018 11:50:46


xhtml CSS