Boicote da imprensa senegalesa por agressão de jornalistas

Dakar- Senegal (PANA) -- A maioria dos jornais diários e rádios privadas do Senegal observam esta segunda-feira um "Dia de Imprensa Morta" para protestar contra a agressão dos repórteres Boubacar Kambel Dieng da Rádio Futurs Media (RMF) e Karamoko Thioune da "West Africa Democracy Radio (WADR)" por polícias, a 21 de Junho último em Dakar.
A iniciativa foi organizada pelo Comité de Defesa e Protecção dos Jornalistas, em colaboração com o Sindicato Nacional dos Profissionais da Informação e Comunicação do Senegal (SYNPICS).
Apenas os três jornais do grupo Walfadjri, o jornal diário pro- governamental, Le Soleil, e um outro próximo do poder, Le Messager, desrespeitaram a greve.
A rádio Walf FM e a Rádio Televisão do Senegal (RTS) são algumas das raras estações locais que emitem as suas emissões.
O Comité de Defesa e Protecção dos Jornalistas reclama sanções contra os autores da agressão dos dois profissionais da comunicação social.
O incidente ocorreu no termo do jogo que opôs o Senegal à Libéria, pontuável para as eliminatórias combinadas do Campeonato Africano das Nações (CAN) e do Mundial de 2010.

21 Julho 2008 13:59:00




xhtml CSS