Bélgica deplora interdição de projeção de filme sobre violências sexuais na RDC

Abidjan, Côte d´Ivoire (PANA) - O Governo belga deplorou a interdição, pelo Governo da República Democrática do Congo (RDC), da projeção no país do filme «L’homme qui répare les femmes« (Homem que repara as mulheres).

Num comunicado transmitido à PANA, o vice-primeiro-ministro e ministro belga dos Negócios Estrangeiros, Didier Reynders, revela que a luta contra as violências sexuais de são vítimas as mulheres, no leste congolês, um combate universal, partilhado pela Bélgica e pela RD Congo.

Para Reynders, "este nobre objetivo teria sido melhor enaltecido pela difusão deste filme, que comoveu o mundo inteiro a favor da população congolesa".

Quarta-feira, o ministro da Imprensa e porta-voz do Governo congolês, Lambert Mende, proibiu categoricamente a difusão, prevista para 8 e 9 de setembro corrente, do documentário "o Homem que repara as mulheres - a ira de Hipócrates" da autoria de Thierry Michel e de Colette Braeckman,  realizador e jornalista especialista da África Central respetivamente.

Estas imagens expressam uma vontade manifesta de comprometer o Exército congolês, de acordo com o diplomata belga, relatando por outro lado o combate travado por um ginecólogo congolês, Denis Mukwenge, para restaurar mulheres vítimas de violações sexuais em tempo de guerra, devolvendo-lhes a sua dignidade feminina.

Este documentário recebeu sete prémios internacionais, indica-se

-0- PANA BAL/JSG/MAR/DD 05set2015

05 Setembro 2015 15:28:58




xhtml CSS