Banco da CEDEAO apoia uso de energias renováveis em Cabo Verde

Praia- Cabo Verde (PANA) -- O Banco de Investimento e Desenvolvimento da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) quer transformar Cabo Verde num centro de transformação de energias renováveis para servir de modelo aos países da sub-região, anunciou segunda-feira na Praia o seu presidente, Christian Adovelande.
O presidente do BIDC, que falava durante a VI Reunião Ordinária do Conselho de Governadores da sua instituição, adiantou que, com o apoio da Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), o BIDC já tem um investimento para o sector de energia em Cabo Verde no valor de 110 milhões de euros e de 11 milhões de euros com a ajuda do Banco Europeu de Investimento.
Adovelande sublinhou que o apoio ao desenvolvimento das energias renováveis em Cabo Verde entra no quadro da estratégia do programa do BIDC 2009-2011, que vai também priorizar as infraestruturas regionais, as telecomunicações, a energia, os transportes e o financiamento do sector privado.
Esta terça-feira, o primeiro-ministro cabo-verdiano, José Maria Neves, e o Conselho de Governadores do BIDC vão analisar os projectos previstos para Cabo Verde no âmbito do contrato programa para 2008- 2011, nomeadamente a criação do centro de energias renováveis, que conta também com o apoio do Banco Europeu de Investimento.
A implementação de um fundo especial para as comunicações e novas tecnologias de informação, com a finalidade de modernizar o parque da empresa estatal de telecomunicações Cabo Verde Telecom no quadro do espaço da CEDEAO, é um outro assunto a ser abordado durante a reunião.
Em Cabo Verde, o BIDC financiou algumas obras, tais como o salão VIP e o parque de estacionamento do Aeroporto Internacional da Praia, avaliados em 8,3 milhões de euros, bem como a Policlínica da ilha do Sal, uma infraestrutura hospitalar no valor de 4,6 milhões de dólares americanos.
O BIDC é uma instituição financeira sub-regional que tem como objectivo contribuir para o desenvolvimento económico da África Ocidental através de financiamento de projectos e programas da CEDEAO e da Nova Parceria para o Desenvolvimento da África (NEPAD).

01 Julho 2008 11:42:00




xhtml CSS