Banco Mundial defende Plano Marshall para África

Accra- Gana (PANA) -- O Banco Mundial (BM) considerou segunda-feira em Accra, capital do Gana onde decorre a Nona Cimeira Ordinária da União Africana (UA), que o apelo para um Plano Marshall destinado a tirar África do marasmo económico é uma vaga ascendente que poderia desembocar num grande impulso do continente.
O Plano Marshall foi o principal projecto dos Estados Unidos para a reconstrução dos países aliados da Europa após a II Guerra Mundial.
A instituição bancária internacional sublinhou que este apelo é provavelmente a razão dos engajamentos assumidos pelo G8, grupo dos oito países mais industrializadas do mundo, a favor de África na Cimeira de Geneagles, na Escócia, no ano passado.
Contudo, o BM criticou os países do G8 que faltaram ao seu engajamento de aumentar a ajuda para África até 50 biliões de doláres americanos por ano daqui a 2010.
"É importante que quando compromissos são assumidos eles sejam respeitados", declarou o vice-presidente do Banco Mundial para África, Obiageli Ezekwesili.
O vice-presidente do BM para África disse desejar que os países do G8 materializem a sua decisão de fazer de África uma prioridade nas suas contribuições generosas.

03 Julho 2007 10:44:00




xhtml CSS