Balanço de inundações na África do Sul e Moçambique passa para 69 mortos

Cidade do Cabo, África do Sul (PANA) – O balanço das inundações que assolaram algumas regiões da África do Sul e do vizinho Moçambique passou esta terça-feira para 69 mortos, enquanto os esforços de socorro continuam.

Para além das perdas de vidas humanas, as inundações deslocaram milhares de pessoas, destruíram casas, escolas e fazendas bem como infraestruturas rodoviárias.

O organismo humanitário sul-africano GOTG (South African Humanitarian Group Gift of the Givers) afirmou estar a trabalhar com os Governos centrais e locais e com as comunidades para conceder a assistência de que as comunidades afetadas tanto precisam.

Segundo trabalhadores humanitários em Maputo, cerca de um milhão 100 mil pessoas foram deslocadas, essencialmente nos distritos de Guija e Chokwe.

Os socorristas indicaram que, em várias zonas, aldeias inteiras foram submersas e a situação é de desespero na sequência da destruição de culturas, da insegurança alimentar, da ausência de água potável, de domicílios mas igualmente dos riscos de cólera, malária e diarreia.

Em Moçambique, o Governo sul-africano lançou várias operações de socorro, envolvendo o desdobramento de uma equipa da Força Nacional Sul-Africana de Defesa (SANDF) integrada por mergulhadores experientes e profissionais de saúde.

Helicópteros foram igualmente desdobrados nas zonas inundadas e um avião foi enviado para distribuir  produtos alimentares às comunidades afetadas no quadro dum esforço pluridimensional do Governo.

« Durante este período difícil, os nossos pensamentos e as nossas orações vão para as famílias que perderam os seus próximos nestas inundações. Pedimos a todos os Sul-africanos para ajudar, criando estruturas de apoio às vítimas, que perderam, entre outros, as suas casas, o seu trabalho e os seus meios de subsistência”, declarou o porta-voz do Congresso Nacional Africano (ANC, no poder), Moloto Mothapo.

O GOTG começou segunda-feira a reforçar os socorros da SANDF e  disponibilizou barcos, mergulhadores, pessoal socorrista, equipas médicas e paramédicas para a eventualidade de nova subida das águas.

"Para além disso, uma ajuda de emergência de 100 toneladas está a ser preparada em Joanesburgo para ser transportada imediatamente para Moçambique", anunciou o porta-voz do GOTG, Imtiaz Sooliman.

-0- PANA CU/SEG/NFB/JSG/IBA/FK/IZ 29jan2013

29 janvier 2013 20:23:40


xhtml CSS