BAD e ONU examinam reforço das capacidades de produtores rurais

Ouagadougou- Burkina Faso (PANA) -- O Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) e a Comissão Económica da ONU para África (CEA) organizam desde domingo em Ouagadougou uma reunião para elaborar estratégias de reforço das capacidades organizacionais e financeiras dos actores rurais visando a conquista do mercado internacional.
Este encontro realiza-se à margem da 35ª sessão da Conferência dos Ministros Africanos da Economia e Desenvolvimento.
A reunião, que decorre até 18 de Maio sob o lema "Reforço das Capacidades das Comunidades Rurais Através da Promoção do Comércio: Iniciativa do Sector Privado", visa determinar todos os obstáculos enfrentados pelos produtores no campo.
O encontro pretende igualmente determinar o papel que poderão desempenhar o BAD e os parceiros para o desenvolvimento para reforçar as capacidades dos produtores e permitir-lhes aceder aos mercados internacionais.
Os produtores africanos que se juntam a vários outros participantes no encontro começaram a enumerar as dificuldades que obstruem as suas actividades, das quais o financiamento.
O seminário iniciou-se com testemunhos de actores do Togo, do Burkina Faso e do Senegal na presença de três responsáveis do BAD - o vice- presidente das Operações Norte, Este e Sul, Mandla Ganstho, o director do Departamento do Sector Privado, Luciano Borin, e o chefe da Divisão da Estratégia e Promoção, Mohamed Bourenane.
Diante de cerca 200 participantes provenientes dos 48 países africanos e de 25 outros não africanos, o representante dos produtores togoleses, Logossu Adri, explicou que os camponeses estão confrontados com o problema de acesso ao financiamento e são incapazes de investir a partir da poupança.
Questões de acesso ao financiamento, aos mercados internacionais, o descontrolo do preços dos produtos locais e a fraca capacidade de produção são algumas das dificuldades enfrontadas pelos produtores.
O representante senegalês Ahmed Sadji, perito em artesenato africano e desenvolvimento de pequenas e médias empresas, citou como constrangimentos e obstáculos para os produtores africanos a ausência de informações nos mercados internacionais, a insuficiência de operadores em técnica de exportação e as exigências estritas dos mercados europeus, americanos e asiásticos.
A reunião examinará também a intermediação financeira e o papel das instituições financeiras no reforço das capacidades das associações camponesas.

15 Maio 2006 13:22:00


xhtml CSS