BAD doa 3 milhões de euros para relançamento pós-Ébola na África Ocidental

Abidjan, Côte d’Ivoire (PANA) - O Fundo Fiduciário da Iniciativa para o Abastecimento de Água e Saneamento no Meio Rural (RWSSI, sigla em inglês) do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) anunciou uma doação de três milhões de euros para apoiar a execução das estratégias nacionais de reconstrução pós-Ébola da Guiné-Conakry, da Libéria e da Serra Leoa.

Esta doação do Fundo Fiduciário da RWSSI pretende reforçar a resistência ao vírus do Ébola nos países afetados pela epidemia, melhorando sustentavelmente o abastecimento de água e o saneamento para as populações mais vulneráveis. Ela deve desempenhar um papel de catalisador para melhor responder às epidemias.

Reforçar as capacidades e sensibilizar sobre o papel da água e do saneamento a fim de impedir a propapação das doenças estão no centro do programa da RWSSI pós-Ébola.

O objetivo é velar por que as comunidades rurais sejam formadas para gerir e manter as instalações de água e saneamento e que elas sejam sensibilizadas sobre as suas vantagens  sanitárias e económicas.

Entre as vantagens figuram a redução das doenças transmitidas pela água, menos tempo consagrado aos trabalhos domésticos de busca da água e menos dinheiro gasto em tratamentos médicos.

As mulheres e as crianças deverão ser as primeiras beneficiárias da melhoria do abastecimento de água e do saneamento.

A propagação sem precedentes do vírus do Ébola em 2014 revelou-se estreitamente ligada à falta de capacidades e de recursos, insuficientes para responder de forma rápida e eficaz à epidemia.

Os diferentes epicentros da epidemia nos três países afetados estão situados em zonas fronteiriças rurais recuadas, onde as taxas de cobertura de água potável e de saneamento são muito baixas.

Na Libéria, por exemplo, mais de 50 porcento dos 656 estabelecimentos de saúde do país estão desprovidos de água ou de saneamento nas suas instalações.

Na Serra Leoa, três mil escolas estão privadas destes serviços e na Guiné-Conakry, 29 porcento das famílias no meio rural não têm nenhum acesso a meios sanitários.

Apoiando-se nos programas de ajuda de emergência anteriores que o BAD concedeu na luta contra o Ébola, esta doação da iniciativa RWSSI depende do Fundo de Investimento Social para o Relançamento Pós-Ébola,  à semelhança do empréstimo concedido ao setor da saúde na Serra Leoa e na Guiné-Conackry, no valor de 30 milhões de euros.

Ao Secretariado da União do Rio Mano foi confiado estes fundos, que serão desembolsados em conformidade com os planos de relançamento pós-Ébola nos respetivos países identificados, num trabalho de coordenação com os outros parceiros.

-0- PANA BAL/JSG/FK/TON 27out2015

27 Outubro 2015 18:48:40


xhtml CSS