Aumento de três por cento de africanos pobres em França

Paris- França (PANA) -- O número de africanos pobres que solicitam ajuda à Secours Catholique cresceu três por cento entre 2001 e 2002, soube a PANA em conferência de imprensa de lançamento do relatório 2002 da referida associação francesa.
Quatorze por cento destes africanos pobres são naturais do Magrebe, designadamente da Árgélia, e seis por cento da África subsahariana, refere.
Os naturais do Congo Brazzaville e da RD Congo são os mais numerosos, revela o relatório 2002 da Secours Catholique.
Segundo os responsáveis da Associação humanitária, a maioria dos africanos acolhidos está em situação irregular, nomeadamente pessoas sem títulos de estadia ou requerentes de asilo.
Assim, 44 por cento em situação irregular são cidadãos do Magrebe contra 27 por cento da África subsahariana.
"Oferecemos-lhes alojamento nos nossos centros de acolhimento e, quando tiverem uma situação, podem partir ou trabalhar nas nossas equipas", indicou um membro da associação.
Deplorando a lentidão administrativa que mantém os estrangeiros em situações precárias, a Secours Catholique estima que o aumento do número de africanos pobres na França se deve principalmente às múltiplas crises que abalam o continente negro.
A Associação, que pretende continuar a sua obra caritativa, prossegue a recolha de donativos destinados às 687 mil pessoas (franceses e estrangeiros) em situação de pobreza, registadas na França.

07 Novembro 2003 11:16:00


xhtml CSS