Atletas santomenses preparam Jogos Olímpicos em Portugal e França

São Tomé, São Tomé e Príncipe (PANA) - Três atletas santomenses seguem esta sexta-feira para Portugal com  vista a ultimar a sua preparação para os Jogos Olímpicos de Londres em meados deste ano, elevando para cinco o número de desportistas nos centros de alto rendimento para as Olimpíadas, soube a PANA de fonte oficial em São Tomé.

Segundo o presidente do Comité Olímpico de São Tomé e Príncipe (COSTP), João Costa  Alegre, a deslocação a Portugal de dois canoistas e de um velocista especialista em 100 metros livre vai permitir aos atletas tomarem contacto com outras realidades de treinamento, para que tenham uma boa participação nos Jogos Olímpicos.

Atalmiro de Ceita, medalha de bronze nos Jogos Pan-africanos em Moçambique em 2011, e Alcino Gomes, detentor de vários títulos internacionais, vão para o centro de alto rendimento de canoagem em Coimbra, Portugal.

Por seu lado, o velocista Christopher Vaz vai estar durante três meses no centro de alto rendimento de atletismo em Oeiras, Portugal.

Os três atletas juntam-se ao taekwondista Eloy Joy Boa Morte, detentor de uma bolsa olímpica em Portugal desde o ano passado, e a Leocabela Quaresma, que há um ano e dois meses encontra-se em França.

O taekwondista Eloy Joy Boa Morte, que falhou a qualificação no Cairo, Egipto, em janeiro deste ano, vai aguardar pela solicitação de participação nos Jogos Olímpicos de Londres por via de universalidade.

A esperança do arquipélago lusófono do Golfo da Guiné recai para a especialista em triplo salto Leocabela de Quaresma, de 22 anos, que disse à PANA estar preparada para conseguir a qualificação para Londres.

“As provas de pistas descobertas acontecem entre abril e maio. Nesta altura, irei escolher uma delas para poder participar em concertação com o meu treinador", disse a jovem atleta.

Leocabela foi transferida do clube português Juventude Operária de Monte Abrão, em fevereiro de 2011, para o Centro Regional de Atletismo para Jovens Desportistas (CRJS), em França.

No entanto, o presidente do COSTP explicou que a ida dos dois canoistas a Londres está a depender da solicitação feita à Solidariedade Olímpica para que o país possa beneficiar da lei da universalidade.

“Não posso garantir porque existe apenas duas vagas para a universalidade na Federação Internacional de Canoagem. Nos Jogos Olímpicos de Pequim de 2008, em que Alcino conseguiu atingir as meias-finais, já beneficiámos”, avançou João Costa Alegre.

-0- PANA RMG/TON 16Mar2012






16 Março 2012 09:32:06


xhtml CSS