Ataques contra forças de UA em Darfur não servem causa de populações, diz UA

Addis Abeba- Etiópia (PANA) -- O Conselho de Paz e Segurança (CPS) da União Africana (UA) advertiu uma vez mais insurrectos que assolam a região de Darfur, no oeste do Sudão, de que os ataques contra as forças de manutenção da paz da UA desdobradas no local não servem a causa das populações.
Condenando o último ataque lançado por homens armados, que resultou na morte de um soldado ruandês membro da Missão da UA no Sudão (AMIS) e no ferimento de dois outros esta semana, o CPS insistiu na necessidade, para todas as partes no conflito de Darfur, de respeitar os diversos acordos de cessar-fogo por elas assinados.
O comunicado adoptado no termo da 76ª reunião do CSP, organizada a 10 Abril de 2007, critica a agressão contra o contigente ruandês, qualificando-a de "acto de covardia".
As tropas ruandesas foram atacadas enquanto estavam a patrulhar nos arredores dum chafariz não distante de Sortony, no norte de Darfur, e os agressores levaram um veículo.
O CPS reafirmou a determinação da UA a colaborar com o Conselho de Segurança das Nações Unidas para lutar contra estas violações flagrantes dos acordos de cessar-fogo concluídos sobre Darfur, apelando consequentemente para a abertura dum inquérito concludente sobre este incidente com o fito de julgar os autores diante da justiça.

12 Abril 2007 22:13:00




xhtml CSS