Associação dos Jornalistas Ganenses denuncia exclusão de colegas

Accra- Gana (PANA) -- A Associação dos Jornalistas Ganenses (GJA) qualificou de "muito infeliz" a exclusão dos profissionais da imprensa acreditados da cerimónia de abertura, domingo em Accra, da Nona Cimeira Ordinária da União Africana (UA).
"Como se a decisão de proibir aos mídias o acesso à sala principal não era suficiente, o Centro de Imprensa onde estavam limitados não respondeu às suas expectativas porque não havia televisores suficientes em circuito fechado para retransmitir a cerimónia de abertura", queixou-se a GJA num comunicado publicado em Accra.
"Esperamos que esta lacuna seja resolvida imediatamente para oferecer à imprensa os instrumentos necessários com vista a uma boa cobertura do Grande Debate sobre o Governo da União Africana", acrescenta a organização.
Os 600 jornalistas acreditados para a Cimeira histórica que debate o Governo da União em África foram proibidos de acesso à sala para a cobertura da cerimónia de abertura.
Esta acção suscitou um vivo protesto dos jornalistas que entregaram, mais tarde, uma petição aos organizadores.
Um plano destinado a permitir a alguns jornalistas aceder à sala foi abortado à última hora por recomendação de agências de segurança excessivamente zelozas.

02 Julho 2007 10:24:00




xhtml CSS