Associação de africanas contra sida alerta para efeitos de conflitos

Accra- Gana (PANA) -- A Associação para as Mulheres Africanas face à SIDA (AFASI internacional) manifestou a sua profunda preocupação pelos efeitos dos conflitos nas mulheres e crianças em África, de acordo com uma declaração publicada domingo em Accra (Gana).
Neste documento divulgado à margem da cimeira dos chefes de Estado e de Governo cujos trabalhos se iniciaram domingo último com o término previsto para terça-feira em Accra, no Gana, a AFASI Internacional exige dos dirigentes africanos que respeitem os sistemas democráticos e intensifiquem os esforços para resolver os conflitos em África.
Para a organização feminina contra a sida, os conflitos e as guerras acentuam a propagação da sida e as mulheres, as raparigas e as crianças permanecem as principais vítimas de violências, violações e outros abusos sexuais durante estes conflitos armados no continente, com uma taxa de risco crescente de infecções com o HIV/SIDA.
Para contornar estes riscos, a AFASI exorta os chefes de Estado e de Governo africanos e a comunidade internacional a assegurar a disponibilidade dos recursos humanos e financeiros nos campos de refugiados para garantir a protecção dos direitos humanos, "incluindo os direitos sexuais e de reprodução, o acesso aos cuidados medicos, à educação e à circulação das organizações da sociedade civil".
A AFASI insta igualmente os dirigentes africanos a garantir o julgamento de "todas as pessoas autores de crimes especialmente ligados ao género ou à violência sexual nas zonas de conflitos".
Todas estas acções devem ser acompanhadas, de acordo com a AFASI, por uma maior disponibilidade de recursos para a prevenção e gestão do HIV/Sida em África com vista a "prevenir a instabilidade social e económica que podem ser a fonte de novos conflitos".
A AFASI é uma organização panafricana que luta pela redução dos impactos do HIV/Sida sobre as mulheres e crianças.

02 Julho 2007 19:50:00




xhtml CSS