Associação acusa direcção do basquetebol angolano de "corrupta"

Luanda- Angola (PANA) -- "A direcção da Federação Angolana de Basquetebol (FAB) dirigida por Pires Ferreira é corrupta e deve demitir-se para dar lugar à pessoas mais honestas",  acusou sábado último, em Luanda, o secretário geral da Associação provincial de basquetebol de Benguela, Júlio Paiva, quando falava a imprensa.
Júlio Paiva sustenta a sua acusação "pelas sucessivas anomalias ocorridas nos últimos  tempos, nomeadamente, a suspensão dos torneios zonais sul e norte, os contratos paralelos feitos entre o presidente da Federação e o seleccionador nacional , o português  Mário Palma,  que irritaram Tony Sofrimento, secretário geral da FAB, e Adalberto Silva, presidente do Conselho técnico".
  Segundo Paiva, " a suspensão pela FAB das provas zonais deveu-se à pressões vindas de  Mário Palma, um luso-guineense que, além de ter sido empregado da Federação, até setembro último, é  também o treinador do Primeiro de Agosto, equipa que alega  dificuldades financeiras para se deslocar ao Namibe, aonde deveria participar do torneio zonal da modalidade".
O responsável pelo basquetebol de Benguela considera que a atitude da direcção da FAB demonstra, "não só a sua má fé, mas o seu fraco poder de decisão, porquanto, os governos provinciais já haviam criado condições  para a realização dos zonais, quer  no Namibe, quer em Cabinda".
Recorde-se que FAB anulou o novo método adoptado para a época 2003 que consistiria em fazer jogar o campeonato nacional de basquetebol em zonas, onde o Petro de Luanda jogaria em Cabinda com algumas equipas, e o Primeiro de Agosto(campeã em título) no Namibe, com as restantes.

12 Janeiro 2003 12:38:00


xhtml CSS