Aposentados encerram correios para exigir pensões em atraso na Nigéria

Lagos, Nigéria (PANA) – Os aposentados dos Serviços Postais Nigerianos (NIPOST) encerraram todas as instalações de correios no território nacional para exigir o pagamento imediato de 73 meses de pensões em atraso calculadas em  mais de 4,071 biliões de nairas (cerca de 27 milhões de dólares americanos) a nove mil 433 pensionsistas, noticiou esta terça-feira o diário « The Guardian ».

Segundo o jornal, os pensionistas, visivelmente furiosos, bloquearam desde as 07:00 horas de segunda-feira as entradas às instalações dos NIPOST de Ikeja e de Agege em Lagos, impedindo a passagem das pessoas que vinham receber ou depositar as suas correspondências.

« Estamos em greve. Até ao pagamento do nosso dinheiro, não os deixaremos trabalhar », prometeram em coro os reformados.

No escritório de Ikeja, o presidente nacional da associação, Braimah Alezi Oboierien, disse que os reformados já não podiam suportar « o jogo às escondidas » que os responsáveis do NIPOST e o Ministério das  Finanças estão a fazer com as suas pensões.

Segundo ele, os NIPOST reconsideraram a sua promessa de pagar os seis anos de pensão em atraso por três vezes.

« Estivemos aqui de 4 a 11 de julho de 2011. Eles pediram que suspendêssemos os protestos, que duraram oito dias em todo o território nacional até 15 de julho, e nós aceitámos. Mas a 15 de julho, eles não pagaram. Ainda ligámos para estes responsáveis e eles prometeram pagar a 28 ou a 29 de julho. Mas a 27 de julho, liguei de novo e eles disseram que não é possível, que o diretor que devia assinar a autorização estava ausente. Voltaram a prometer pagar a 5 de agosto e hoje estamos a 8 de agosto, eles não pagaram. Não anularemos os protestos enquanto não formos pagos », advertiu.

Oboierien indicou que o contabilista-geral da Federação explicou que o atraso se deveu ao facto de que o secretário de Estado para as Finanças encarregue de assinar o documento de aprovação para o pagamento de dinheiro  "ainda não o assinou".

Ele implorou ao Presidente nigeriano, Goodluck Jonathan, para ordenar ao secretário de Estado das Finanças para assinar a autorização de pagamento, prometendo que « até que ele assine, os protestos continuarão e não enfraquecerão".

-0- PANA VAO/NFB/JSG/FK/IZ 09agosto2011

09 Agosto 2011 17:42:00


xhtml CSS