Apelo à reflexão sobre águas geradoras de riscos em Cabo Verde

Praia- Cabo Verde (PANA) -- O ministro cabo-verdiano da Defesa e Assuntos Parlamentares, Armindo Maurício, que tutela o sector da protecção civil, defendeu no fim-de-semana a necessidade de uma reflexão mais profunda sobre a quantidade de água geradora de riscos e perigos tanto nas cidades como no campo.
Ao intervir na abertura de uma mesa redonda consagrada à reflexão sobre os "Riscos Hídricos" no arquipélago, Armindo Maurício citou a cidade da Praia onde as pessoas fazem construções nas ribeiras e nas encostas, ou seja, em sítios onde, em caso de cheias provocadas por chuvas abundantes, se registam habitualmente acidentes com alguma gravidade.
"Daí há que haver um trabalho no sentido da prevenção, ou seja, de levar a sociedade a entender que tem que evitar um conjunto de acções que podem por a vida das pessoas em perigo", alertou Armindo Maurício.
Representantes de diversas instituições governamentais e da sociedade civil participam neste fórum cujos debates tiveram por base um documento intiutlado "Avaliação dos Recursos Hídricos em Cabo Verde", elaborado pelo Serviço Nacional de Protecção Civil, e que pretende fazer o levantamento dos riscos e da vulnerabilidade ligados à problemática da água.
O mesmo visa proceder a identificação de riscos de origem natural e tecnológica, bem como os mistos, em todo o território cabo-verdiano, e consequentemente procura inventariar e sugerir medidas preventivas e correctivas, com vista à minimização dos referidos riscos.
Com a realização da mesa redonda procurou-se recolher subsídios para o aprofundamento deste estudo sobre as probabilidades da ocorrência dos riscos identificados e das suas possíveis consequências nas comunidades, infra-estruturas, meio ambiente, actividades económicas e sociais.

28 Março 2004 12:22:00


xhtml CSS