Annan apela a África para criar estratégia para futuro

Banjul- Gâmbia (PANA) – O Secretáio--Geral (SG) da ONU Kofi Annan apelou sábado a África para desenvolver uma "estratégia de entendimento para o futuro" para que o continente possa construir o progresso que sempre busca.
Falando durante a sétima cimeira da UA em Banjul, Annan disse que esta estratégia deve dar um peso e uma atenção iguais aos "três pilares de desenvolvimento, segurança e direitos humanos".
“A família humana não pode gozar de segurança sem desenvolvimento e também não poder gozar do desenvolvimento sem segurança e muito menos sustentar um ou outro a longo prazo sem respeitar os direitos humanos e a lei”, disse nesta última alocução o SG da ONU cujo mandato expira em Dezembro próximo depois de ter exercido estas funções durante dez anos.
Afirmou que a estratégia a ser adoptada deve dar força integral à “terceira onda” de África que, a seu ver, é a era do progresso e do desenvolvimento após a primeira onda de colonização e segunda de guerras civis e da tirania das líderanças ditatoriais militares.
Annan disse que desde a sua primeira alocução na cimeira de Harare a 2 de Junho de 1997, a África fez um grande progresso nas em termos de desenvolvimento, segurança e direitos humanos.
Citou o progresso no desenvolvimento, salientando a integração regional, lema da cimeira de Banjul, a anulação em 100 por cento das dívidas de 14 nações africanas e o alívio da dívida de oito outros países, assim como uma amior taxa de escolarização no ensino primário.
O SG da ONU mencionou também a diminuição da prevalência do HIV/Sida em vários países africanos, o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) e o aumento de mais de 200 por cento do fluxo de investimentos directos em África.
Quanto à segurança, Annan saudou a queda “dramática" do número de conflitos violentos, dizendo que os africanos demonstraram que os “direitos humanos são direitos africanos”.
Porém, Annan disse existir ainda desafios medonhos, dos quais a pobreza extrema, a expansão do HIV/Sida em relação aos esforços para os últrapassar assim como os conflitos de Darfur (oeste sudanês), na Côte d'Ivoire, na Somália e no norte do Uganda.
Para tal, o SG da ONU disse que, nesta terceira onda, os homens e as mulheres devem viver em abrigo da pobreza “porque as sentenças de morte da pobreza extrema e das doenças infecciosas foram banidas das suas vidas”.
Concluindo, Annan declarou: "Já não vou ser mais Secretário-Geral das Nações Unidas mas enquanto tiver força, vou continuar a trabalhar com vocês para chegarmos a este destino".

01 Julho 2006 16:38:00




xhtml CSS