Angola inicia estudos laboratoriais sobre Zika

Luanda, Angola (PANA) - O ministro angolano da Saúde, Luís Gomes Sambo, anunciou terça-feira, em Luanda, que estudos e investigações epidemiológicas, a nível laboratorial, estão em curso no país para se conhecer a verdadeira magnitude do problema da doença do vírus Zika.

O ministro falava à imprensa no termo de uma sessão do Conselho de Ministros consagrada à  proposta de Plano de Contingência para a Prevenção e Controlo da Doença do Vírus Zika-2017 e ao plano de resposta para o controlo da epidemia de cólera, também para este ano.

A proposta em causa visa prevenir ou minimizar a transmissão do vírus Zika em Angola, através de ações de controlo vetorial, assegurando o diagnóstico e o tratamento dos casos, bem como implementar um sistema de informação e educação da população.

Luís Gomes Sambo lembrou que o vírus Zika já circula no país e existe a necessidade de se conhecer melhor a situação com vista à tomada de decisões imediatas para a prevenção.

Até ao presente momento, disse, foram confirmados dois casos desta doença em laboratório.

A sessãodo Conselho de Ministros estabeleceu orientações que visam buscar medidas para o combate e controlo da cólera e do vírus Zika em todo país.

Entre tais medidas consta o tratamento da água potável, a recolha do lixo, a informação e a educação das comunidades, a formação de pessoal, a organização de serviços clínicos, o aprovisionamento de meios médicos e medicamentos e a biossegurança nas unidades sanitárias.

Sobre a epidemia de cólera, cujo foco se localiza no município do Soyo, na província nortenha do Zaire, o governante referiu que as medidas de controlo e prevenção devem ser reforçadas, bem como os próprios recursos financeiros.

De dezembro de 2016 a janeiro de 2017, foram registados 124 casos suspeitos com seis óbitos.

Com nova proposta, pretende-se principalmente interromper a transmissão da epidemia na província, evitando a sua propagação para o resto do país, segundo o comunicado final da reunião do Conselho de Ministros.

A nota explica que, como ações de curto e médio prazos, estão a ser tomadas medidas para a adjudicação da empreitada de construção de um novo sistema de abastecimento de água potável na cidade do Soyo, e a mobilização de recursos financeiros para a construção de pequenos sistemas de abastecimento de água nas linhas adjacentes a essa cidade.

-0- PANA IZ 25jan2017

25 Janeiro 2017 12:34:16


xhtml CSS