Angola ameaça processar TOTAL FINA ELF por fuga de gás

Luanda- Angola (PANA) -- As autoridades angolanas ameaçaram terça- feira processar judicialmente a petrolífera TOTAL FINA ELF ELF se se constatar uma maior gravidade das consequências da fuga de um gás venenoso num dos seus poços petrolíferos na semana passada.
De acordo com o director nacional do Ambiente, Carlos Santos, uma equipa do Ministério angolano do Urbanismo e Ambiente vai deslocar-se brevemente ao Soyo, o local do acidente, para avaliar a gravidade da situação.
"Se os danos forem maiores, seremos obrigados a intentar uma acção judicial contra a FINA Petróleos, à semelhança do que aconteceu com a Chevron Texaco em 2001", indicou Carlos Santos.
Carlos Santos, falava à margem de uma reunião, em Luanda, entre representantes do Ministério angolano do Urbanismo e Ambiente e da TOTAL FINA ELF sobre as formas de proteger a saúde pública e o ambiente contra acidentes da actividade petrólífera.
O vazamento do gás identificado como sulfato de hidrogénio decorreu na vila petrolífera do Soyo, quando funcionários daquela empresa procediam à limpeza do poço N'Zombo 41.
Na altura, o acidente causou doenças à várias pessoas incluindo deficiências visuais bem como afectou algumas plantações de cajú, uma das culturas tradicionais da região.
Segundo ainda Carlos Santos, a reunião de terça-feira serviu ainda para solicitar àquela empresa petrolífera o lançamento de uma campanha de informação e de sensibilização sobre à prevenção contra eventuais casos de intoxicações.
Num comunicado tornado público segunda-feira em Luanda, a TOTAL FINA ELF lamenta os incómodos causados à população vizinha das instalações, referindo que "fará o necessário para evitar novos incidentes do género".
O município do Soyo, na província nortenha do Zaire, é a segunda maior região petrolífera de Angola depois do também setentrional enclave de Cabinda, sendo responsável pela produção de 250 mil dos 850 mil barris de petróleo/dia produzidos no país.
Prevê-se que a produção do Soyo duplique para 500 a 600 mil bpd até 2006, com a entrada em funcionamento dum novo poço baptizado por "Dália", o que poderá elevar a produção nacional para 1,5 milhão de bpd.

14 Janeiro 2004 10:53:00


xhtml CSS