Angelina Jolie apela ao fim de violência sexual em conflitos

Nova Iorque, Estados Unidos (PANA)   - A atriz norte-americana, ativista e enviada especial do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), Angelina Jolie, apelou para uma ação concertada para pôr definitivamente termo à utilização da violação e da violência sexual como arma de guerra.

Angelina Jolie, que falava terça-feira em Londres (Inglaterra) durante a Cimeira Mundial para a Eliminação da Violência Sexual nos Conflitos, declarou ser um mito acreditar que a violação sexual constitui uma parte inevitável do conflito.

« Precisamos de vontade política no mundo e devemos analisar esta questão como uma prioridade. Devemos ver um real compromisso de perseguir os piores autores, de financiar uma proteção adequada para as pessoas vulneráveis, de intervir e de ajudar os países mais afetados. Nós devemos lutar para obter a inclusão da prevenção da violência sexual nos conflitos na formação de todas as forças armadas, das tropas de manutenção da paz e das forças da Polícia”, defendeu.

A cimeira, acrescentou a atriz a ativista, deve constituir uma etapa na luta contra a violência sexual nos conflitos.

Esta cimeira mundial, que termina a 13 de junho corrente, agrupa mais de 900 peritos, Organizações não Governamentais, vítimas de violações sexuais, líderes religiosos e organizações internacionais do mundo inteiro.

-0- PANA AA/MA/ASA/TBM/FK/TON  11junho2014

11 Junho 2014 20:16:59


xhtml CSS