Amnistia Internacional rejeita decisão da Alemanha sobre países do Magrebe

Túnis, Tunísia (PANA) – O secretário-geral da seção alemã da Amnistia Internacional, Selmin Caliskan, denunciou várias violações dos direitos humanos nos países do Magrebe, indica um comunicado da organização publicado esta quarta-feira pelo seu site oficial em reação ao Governo alemão que considerou estes países como seguros e rejeitou pedidos de asilo dos cidadãos magrebinos.

"Sempre existem violações dos direitos humanos nestes países, nomeadamente torturas exercidas pelos serviços de segurança, violações da liberdade de expressão e de reunião além de pressões exercidas sobre os defensores dos direitos humanos", precisou Caliskan.

''Se o Governo alemão colocar estes países na lista dos países seguros, ele violará não apenas o direito essencial para cada pessoa de buscar um local seguro para se refugiar nele, mas também os seus princípios constitucionais sobre a qualificação dos países seguros", defendeu.

Por seu lado, a organização alemã de defesa dos direitos dos refugiados « Pro Asyl »  afirmou a rejeição do plano do Governo alemão destinado a colocar os países do Magrebe na lista dos países seguros.

A reação destas organizações coincide com o périplo do ministro alemão do Interior, Thomas Maizière, pelos países do Magrebe a fim de convencer os Governos destes países a acelerar a reunião das condições necessárias para acolher os seus cidadãos aos quais a Alemanha  recusou conceder asilo.

-0- PANA AD/IN/IS/FK/TON 2março2016

02 Março 2016 19:48:37


xhtml CSS