Amnistia Internacional exige acções contra milícias sudanesas

Banjul- Gâmbia (PANA) -- A organização de defesa dos direitos humanos sediada em Londres Amnistia Internacional (AI) exortou os líderes africanos a agir firmemente para pôr termo aos ataques perpetrados pelas milícias árabes Janjawids contra civis no Tchad.
Numa carta enviada aos líderes africanos esperados em Banjul para a cimeira da UA prevista para 1 e 2 de Julho na capital gambiana, a secretária-geral da AI, Irene Khan, notou que os ataques deslocaram entre 50 mil e 75 mil pessoas das suas aldeias situadas no leste do Tchad.
A AI convidou os chefes de Estado africanos para "fazer compreender ao governo sudanês a sua responsabilidade primária de proteger os civis no Sudão, de lutar contra os ataques transfronteiriços contra os civis tchadianos pelas milícias Jandjawids e de os desarmar em conformidade com o acordo de paz de Darfur".
A organização pediu igualmente sanções contra o governo sudanês caso ele não desarme os Jandjawids e convidou o Tchad a enviar tropas, se necessário, para proteger a população.

30 Junho 2006 09:00:00




xhtml CSS