Ambientalistas pedem gestão rigorosa de produtos químicos no Congo

Brazzaville, Congo (PANA) -  Os ambientalistas do Congo exigiram, quinta-feira, em Brazzaville,  a realização de inquéritos sobre os poluentes orgânicos persistentes, para uma boa gestão dos produtos químicos pelas empresas petrolíferas instaladas no país.

O apelo foi lançado no termo de um seminário organizado, na capital congolesa, sobre a validação dos relatórios sobre o inventário preliminar dos poluentes orgânicos persistentes e a definição das prioridades para a gestão racional dos produtos químicos no Congo.

Durante o seminário, os especialistas julgaram necessárias a análise psicoquímica eficaz da SPFO (uma substância química sintética) e dos seus derivados; a redinamização do Conselho Superior do Ambiente, bem como a dinamização do Comité Nacional de Gestão das Pesticidas.

Segundo estes peritos, o Congo faz face à degradação do seu ambiente que provoca  a deterioração do quadro de vida das populações. Esta traduz-se, explicaram, pela proliferação dos produtos químicos de todos os tipos, pela poluição ambiental de origem doméstica, industrial ou artesanal.

O Governo congolês comprometeu-se a lançar as ações de gestão do ambiente através da resolução dos problemas ambientais, da assinatura e da ratificação de vários instrumentos jurídicos sobre os produtos químicos perigosos dos quais a Convenção de Estocolmo sobre os Poluentes Orgânicos Persistentes.

O objetivo da convenção é proteger o ambiente e a saúde das populações.

-0- PANA MB/TBM/IBA/FK/IZ 06março2015

06 Março 2015 19:18:23


xhtml CSS