AI deseja abertura de escritório da ONU para Direitos Humanos na República Centroafricana

Dakar, Senegal (PANA) - A Amnistia Internacional (AI) deseja a abertura dum Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos na República Centroafricana (RCA), anunciou quinta-feira em Dakar o seu diretor executivo no Senegal, Seydi Gassama.

"As violações recorrentes dos direitos humanos na República Centroafricano devem-se a um défice notável de cultura do respeito pelos direitos humanos neste país", considerou Gassama
por ocasião do lançamento oficial dum relatório da AI sobre as exações cometidas durante a crise na RCA.

A seu ver, para prevenir estes conflitos, é importante desenvolver esta cultura e consolidá-la.

"É por isto que lançamos um apelo ao Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos para abrir um escritório na República Centroafricana", disse.

Segundo o responsável da AI no Senegal, esta necessidade se faz sentir sobremaneira na RCA, e a organização das Nações Unidas deve responder dotando o Escritório a ser aberto de meios suficientes para lhe permitir fazer um verdadeiro trabalho de transformação da sociedade centroafricana.

É a única maneira, na ótica de Gassama, de evitar o ciclo de atrocidades e matanças que conhece a RCA desde a época do Presidente Bokassa (Jean-Bedel Bokassa, segundo Presidente centroafricano de 1979 a 1996)".

Isto permitirá reforçar as capacidades da sociedade civil para controlar as situações de violação dos direitos humanos no país e fazer tudo para que os culpados prestem contas à justiça, concluiu.

-0- PANA KARL/IS/SOC/MAR/DD 11julho2014

11 Julho 2014 10:43:43




xhtml CSS