AI condena detenção de jornalista zimbabweano por notícia de "roupas usadas"

Nairobi, Quénia (PANA) – A Amnistia Internacional (AI) condenou, terça-feira, a detenção do jornalista zimbabweano Kenneth Nyaangani, por ter revelado que a Primeira Dama Grace Mugabe doou roupas usadas aos militantes do partido no poder, em Mutare.

A organização de defesa dos direitos humanos declarou que o jornalista, que trabalha para a publicação « Newsday », indicou que entre as roupas  oferecidas pela Primeira Dama ao partido ZANU-PF figuravam roupas íntimas.

Cousin Zilla, diretor executivo da AI para o Zimbawe, declarou que Nyangani não fez nada de mal,  pois  ele só cumpriu o seu trabalho.

« A detenção de Kenneth Nyangani representa  uma tática deliberada para o  perseguir e intimidar a ele e a outros  jornalistas a fim de os impedir de fazer o seu trabalho. A intenção é enviar uma mensagem de medo aos jornalistas e aos trabalhadores mediáticos que devem aplicar a  autocensura em vez de dizer verdades.

« Os jornalistas zimbabweanos não deverão ser criminalizados só por ter cumprido o seu trabalho. Kenneth Nyangani deve ser liberto imediata e incondicionalmente e todas as acusações proferidas contra ele levantadas », declarou o responsável da AI.

-0- PANA DJ/VAO/MTA/IS/FK/IZ 04out2017

04 Outubro 2017 09:45:07


xhtml CSS