Agricultor cabo-verdiano distinguido no 70º aniversário da FAO

Praia, Cabo Verde (PANA) – A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) distinguiu, quinta-feira, o agricultor cabo-verdiano Fernando da Veiga, com a medalha comemorativa do 70º aniversário da sua criação, em reconhecimento da contribuição dada pelo homenageado ao desenvolvimento do setor agrícola no arquipélago.

Na mesma ocasião, a medalha foi entregue também ao Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento Agrário (INIDA) de Cabo Verde, pelo trabalho desenvolvimento a nível de investigação agropecuária.

Segundo o representante da FAO em Cabo Verde, Rémi Nono Wondim, o arquipélago cabo-verdiano destacou-se ao conseguir duas das 50 medalhas destinadas à toda a região africana, formada por 47 países.

Ele explicou que esta distinção se deveu ao trabalho que o arquipélago, em colaboração com os diversos parceiros, entre os quais a própria FAO, tem desenvolvido na promoção da horticultura.

O agricultor cabo-verdiano galardoado com medalha comemorativa dos 70 anos da FAO foi um dos primeiros produtores de morango em Cabo Verde e a investir no sistema de microirrigação.

Fernando Veiga tem também disponibilizado as suas terras à INIDA para vários ensaios de produção de novos produtos agrícolas introduzidos no arquipélago.

“Isso foi de boa valia porque aproveitei sempre para aprender e acredito que estou a receber essa medalha pelo facto de ter partilhado tudo que apreendi com os meus colegas agricultores”, disse o agricultor, de 48 anos, detentor de uma larga produção de frutas e hortaliças, ao mesmo tempo que se dedica à produção de aguardente de cana sacarina.

O galardoado dedica a medalha a todos os agricultores cabo-verdianos e adianta que, enquanto agricultor já experiente, está disponível para continuar a partilhar todos os conhecimentos adquiridos ao longo dos anos.

A FAO é uma organização fundada em 1945, no momento em que o mundo estava emergindo da segunda Guerra Mundial, e tem um mandato que cobre todos os aspectos de alimentação e agricultura para alcançar um mundo sem fome e pobreza.

A sua missão é usar a agricultura como papel de redução da pobreza, ajudar a melhorar o padrão de vida das pessoas, sobretudo a população rural mais pobre, de modo que seja sustentável a nível económico, social e ambiental.

O 70º aniversário é também uma oportunidade para refletir sobre o passado e perguntar como a organização pode melhorar no futuro, com base na experiência ao longo das sete décadas da sua existência.

-0- PANA CS/IZ 18dez2015

18 Dezembro 2015 10:56:51


xhtml CSS