Africanos criticam partida antecipada de Sarkozy da Cimeira da OIF

Quebeque- Canadá (PANA) -- A partida do Presidente francês, Nicolas Sarkozy, do Quebeque antes do fim da Cimeira da Organização Internacional da Francofonia (OIF) suscita vivas críticas no seio das delegações africanas.
Sarkozy deverá partir para os Estados Unidos, onde vai encontrar-se com o seu homólogo americano, George W.
Bush, em fim de mandato.
"Esta partida denota que o Presidente Sarkozy tem desprezo pela Francofonia.
Desde a sua chegada ao Eliseu, ele nunca fez um grande discurso sobre a Francofonia", deplorou um delegado do Benin sob anonimato.
O mesmo sentimento de reprovação é exprimido por uma participante camaronesa, que lamenta que o chefe de Estado francês tenha decidido abandonar a cemeira sábado enquanto um debate sobre o lugar da Língua Francesa no mundo está previsto para domingo.
"É a prova que não devemos contar com França para defender a Francofonia.
De lembrar que que a Francofonia nasceu em África por iniciativa de Léopold Sédar Senghor do Senegal, Hamani Diori do Níger e Habib Bourguiba da Tunísia", recordou a delegada dos Camarões, que falava sob anonimato.
Cerca 30 chefes de Estado e de Governo são aguardados na 12ª Cimeira da OIF que examinará a situação política internacional, a paz, a democracia, a governação e questões ambientais.

16 Outubro 2008 09:16:00




xhtml CSS