Africanos chamados a organizar-se para combater crises

Dakar, Senegal (PANA) – A diretora da organização internacional Muheres África Solidariedade (FAS), Bineta Diop, instou quarta-feira, em Dakar, os Africanos a organizarem-se bem para enfrentar diferentes crises que assolam o continente.

Bineta Diop, que falava no encerramento da terceira conferência internacional de FAS, sustentou que África é o continente que mais potencialidades te, para escapar a consequências duma mudança que os Africanos não criaram, mas de que sofrem as consequências.

"Temos os recursos naturais, a terra, a água, as energias solares, todavia precisamos de nos organizar", considerou a diretora de FAS.

Segundo ela, uma fina observação das evoluções socioeconómicas deixa vislumbrar  uma situação inédita com a eclosão simultánea de três crises, financeira, energética e alimentar, que assolam frontalmente África, sem dúvida um dos continentes mais expostos por causa da fraqueza da sua ossatura económica.

Por conseguinte, ela apelou aos Africanos para reagirem rápido e profunda,emte, através duma reorientação dos esforços a favor duma política da oferta, nomeadamente em termos de infraestruturas, de justiça, de igualdade, de solidariedade, de género que, segundo ela, são a base mesma da nova plataforma de emergência da África.

A maioria dos analistas concordam em dizer que os Africanos devem reagir mais rápido face a estas mudanças" sem se afastarem das suas raízes", sublinhou.

Os futuros anos, nomeadamente o ano  2012, com as suas escolhas difíceis, servirão de teste para a sociedade africana toda, ela que deverá, sem para,r reinventar-se  para realizar os Objetivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM), explicou Bineta que sustenta que as mulheres constituem a ossatura do alvo dos ODM com os jovens que representam cerca de 25 porcento da população total do continente.

A 3ª conferência de FAS que a capital senegalesa acaba de albergar, após as de Addis Abeba, na Etiópia, em abril de 2000, e de Bamako, no Mali, em junho de 2006, permitiram a cerca de cem participantes provenientes do mundo inteiro discutirem durante dois dias em torno do lema "as crises financeira, alimentar e energética em África :as mulheres na primeira linha".

-0- PANA COU/JSG/CJB/DD   14dez2011

15 Dezembro 2011 21:56:38




xhtml CSS