Advogado nigeriano insta CEDEAO a intervir para jornalista gambiano detido

Lagos- Nigéria (PANA) -- Um advogado nigeriano, Femi Falana, escreveu ao presidente da Comissão da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), Mohammed Ibn Chambas, sobre a detenção prolongada do jornalista gambiano Ebrimah Manneh, apesar da decisão do Tribunal Comunitário que ordenou a sua libertação.
Numa carta cuja cópia foi transmitida à imprensa, Falana insta Chambas a "usar dos seus bons ofícios" para obter a libertação de Manneh, detido desde 2006 por tentativa de divulgação de um relatório crítico sobre o Governo do Presidente gambiano, Yahya Jammeh.
"A acção levada a cabo junto do Tribunal da CEDEAO de Justiça pelo nosso Gabinete de Advogados sobre o respeito pelo direito fundamental de Manneh à liberdade individual deu frutos a 5 de Junho de 2008.
Não só o Tribunal da CEDEAO ordenou ao Governo gambiano para libertar imediatamente o nosso cliente do cativeiro, mas também concedeu ao réu uma compensação de 100 mil dólares americanos pelos danos que sofreu", lembra o advogado na sua carta.
Falana pede, além disso, a Chambas para encorajar o Governo gambiano a conformar-se a esta decisão, sob a pena de atirar sanções contra o seu país em conformidade com o artigo 77 do tratado revisado da CEDEAO, que prevê sanções contra qualquer Estado membro que se recuse a cumprir com as suas obrigações para com a comunidade sub-regional.

05 Agosto 2008 18:29:00




xhtml CSS