Accordo entre Congo e Angola para exploração do petróleo

Brazzaville- Congo (PANA) -- Os governos congolês e angolano concluiram quarta-feira,em Brazzaville, um acordo de exploração conjunta do petróleo na fronteira marítima comum, soube-se de fonte oficial.
Durante a ceremónia de assinatura do acordo, as autoridades angolanas e congolesas regozijaram-se com a escolha feita pelos dois países na gestão dos recursos fronteiriços.
"Escolhendo assim, nós o Congo e a Angola acabamos de demosntrar que a cooperação sul-sul é possível e apelamos aos outros Estados a seguir este exemplo", disse o ministro angolano dos Petróleos, Jose Maria Botelho de Vasconcelos.
"Esta solução, que resulta de uma compreensão recíproca dos interesses de cada Estado, tem ainda o mérito de poupar aos nossos respectivos povos sofrimentos suplementares pelos quais não têm necessidade de passar", salientou o ministro congolês dos Hidrocarbonetos, Jean-Baptiste Tati Loutard.
"Constitui também uma nova aproximação para os Estados no tocante a resolução dos problemas de soberania", acrescentou o governante congolês.
Os campos abrangidos pelo o acordo são o "permis haute mer", para o Congo, e o Bloco 14 para a Angola.
Estes poços encontram-se na fronteira marítima entre o Congo e o enclave de Cabinda (Angola).
Segundo fontes oficiais, estes jazigos têm reservas estimadas em 950 milhões barris, que serão exploradas durante 25 anos.
A exploração, segundo ainda as mesmas fontes, começará no primeiro trimestre de 2003.
Estará a cargo de um consórcio de dez empresas petrolíferas encabeçado pela Chevron-Texaco (Estados- Unidos),operador principal escolhido devido a sua longa experiência nos dois países.
O consórcio compreende, do lado de Angola, a Chevron-Angola, Total/Fina-Elf-Angola, GAp, Agip-Angola, Texaco e a Sonangol (Empresa nacional dos petróleos de Angola).
Do lado do Congo, estão a Chevron-Congo, Total/Fina-Elf, Egen, Energy Africa, Agip-Congo e SNPC (Empresa nacional dos petróleos do Congo).
A produção petrolífera total do Congo é de 12,3 milhões de toneladas de bruto ano, ao passo que a de Angola é de 920.
000 barris dia, segundo os dados oficiais.

28 Novembro 2002 17:04:00


xhtml CSS