Abdou Diouf minimiza mobilização contra cimeira da OIF em Kinshasa

Paris, França  (PANA) – O secretário-geral da Organização Internacional da Francofonia (OIF), Abdou Diouf, minimizou sexta-feira, em Paris, a resistência de algumas franjas da oposição congolesa contra a realização da 14ª cimeira da instituição em Kinshasa, de 12 a 14 de outubro próximo.

Segundo ele, não se deve considerar apenas a franja da oposição congolesa oposta à organização do evento no país porque "há também vários opositores, representantes da sociedade civil e ativistas dos direitos humanos que querem que o encontro tenha lugar em Kinshasa".

Numa entrevista concedida à PANA, o antigo chefe de Estado senegalês sublinhou igualmente que numerosos Congoleses "acreditam que a cimeira (da OIF) será uma ocasião singular para fazer ouvir a sua voz, fazer passar as suas mensagens e fazer avançar a democracia no seu país".

"Gostaria de lembrar que  a cimeira é, acima de tudo, uma reunião dos chefes de Estado e de Governo da Francofonia. Pela primeira vez desde 1986, ela terá lugar na África Central, uma região que constitui um reservatório importante de francófonos", disse.

Várias Organizações não Governamentais (ONG) francesas e congolesas tentaram em vão obter a deslocalização da cimeira da Francofonia para um outro país francófono,  considerando que a sua realização em Kinshasa vai confortar o regime de Joseph Kabila e desabonar a democracia e os direitos humanos.

Após vários meses de hesitação, o Presidente francês, François  Hollande, anunciou em agosto passado que visitaria Kinshasa e esperava receber os opositores ao Presidente Joseph Kabila.

-0- PANA SEI/DIM/IZ 28set2012

28 Setembro 2012 19:37:00




xhtml CSS