AFRAA insta África a reaver sua parte do mercado no transporte aéreo

Lomé- Togo (PANA) -- O secretário-geral da Associação das Companhias Aéreas Africanas (AFRAA), Christian Folly-Kossi, declarou quarta- feira em Lomé que "África deve tomar a sua parte do mercado no transporte aéreo".
Intervindo durante a cerimónia de ratificação dum acordo de parceria assinado em Novembro último entre a Sociedade de Promoção de Companhia Aérea Regional (SPCAR) e a Associação das Câmaras de Comércio e Indústria da SADC (ASSCI), o SG da AFRAA lançou um apelo às companhias africanas para melhorar a sua imagem em matéria de segurança aérea.
Afirmou que a sua organização apoia a iniciativa da criação da companhia aérea oeste-africana porque "os parceiros SPCAR e a ASSCI são fiáveis e determinadas".
Para Folly-Kossi, o desenvolvimento de companhias "fiáveis" e viáveis" no continente vai implicar a baixa dos preços e contribuir para a retoma da sua parte dos tráfegos perdida a favor do monopólio das companhias europeias.
Salientou que "o futuro de África em matéria de transporte aéreo inscreve-se na integração económica regional", argumentando que as pequenas companhias criadas aqui e acolá na sequência do desaparecimento da Air Afrique não podem aguentar a competição no mercado do transporte aéreo "desequilibrado" pela globalização.
No tocante à espinosa questão de segurança, Folly-Kossi indicou que "o futuro não está garantido para as companhias criadas com meios derisórios, muito menos a segurança da sua frotas".
Preveniu que qualquer adesão à AFRAA será submetida a um estrito e rigoroso procedimento por forma a que seja garantida a segurança dos voos efectuados pelos seus membros.
"A competição é tão grande que, se não formos dinâmicos, não podemos competir", advertiu o SG da AFRAA, concluindo que "a segurança é a nossa primeira preocupação".

07 Dezembro 2005 21:50:00




xhtml CSS