ACNUR realoja 50 mil refugiados Sul-sudaneses na Etiópia

Nova Iorque, Estados Unidos (PANA) - O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) declarou terça-feira que iniciou a reinstalação de mais de 50 mil refugiados Sul-sudaneses na Etiópia a partir de zonas inundáveis nas vésperas da estação das chuvas que deve começar em finais de abril.

A porta-voz do ACNUR, Karin de Gruijl, afirmou aos jornalistas em Nova Iorque por vídeo conferência a partir de Genebra (Suíça) que os refugiados são deslocados dos campos de Leitchuor e Nip Nip, na região de Gambella, na Etiópia Ocidental.

Ela disse que em agosto do ano passado os dois campos foram gravemente afetados pelas inundações durante a estação de chuvas fortes, provocando a eclosão dos diques do rio Baro.

"O primeiro grupo de 377 refugiados partiu num cortejo de 11 veículos, incluindo autocarros, ambulâncias, um camião com bagagem e uma escolta de segurança", declarou.

A porta-voz do ACNUR indicou que os refugiados receberam biscoitos enérgicos e água na altura em que subiam a bordo dos autocarros para a longa viagem de 300 quilómetros, que deve durar cerca de oito horas, notando que um total de 51 mil e 316 refugiados provenientes das zonas inundáveis nos dois campos serão reinstalados.

Ela acrescentou que cerca de dois milhões de pessoas foram desenraizadas pela violência no Sudão do Sul desde dezembro de 2013 e perto de um milhão e 500 mil pessoas são deslocadas no interior do país.

A Etiópia é o maior país de acolhimento de refugiados em África com mais de 670 mil, principalmente originários da Somália, do Sudão do Sul, do Sudão e da Eritreia.

-0- PANA AA/AR/MTA/TBM/SOC/MAR/TON 18março2015

18 Março 2015 14:12:12


xhtml CSS