ACNUR abre nono campo no Tchad para refugiados sudaneses

Paris- França (PANA) -- O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) abriu segunda-feira um nono campo no Tchad para os refugiados sudaneses que chegam de Darfur (oeste do Sudão), declarou terça-feira à PANA a responsável de informação pública da organização humanitária em Paris.
"Uma primeira caravana de sete camiões e dois autocarros provenientes de Darfur transportaram 258 refugiados para o novo campo de Oure Cassoni", precisou Marie-Ange Lescure, adiantando que uma segunda caravana estava prevista para esta terça-feira e a que se seguiriam outras diariamente.
Actualmente, mais de 123 mil refugiados sudaneses estão repartidos em nove campos administrados pelo ACNUR no leste do Tchad: 258 refugiados no novo campo de Oure Cassoni, 15.
008 no campo de Iridimi, 15.
287 no de Touloum, 10.
198 no de Mile, 10.
686 no de Kounoungou, 11.
766 no de Farchana, 29.
489 no de Brejding e nos arredo res, 18.
279 no de Am-Zoer e 12.
307 no de Djalal.
Por outro lado, o ACNUR indicou que cerca de sete mil refugiados chegaram pelos seus próprios meios "alugando camiões" ao campo de Am Nabak onde a ONU começou a distribuir a assistência humanitária e a reinstalar novos refugiados.
Foi programada uma ponte aérea de quatro voos a partir da Dinamarca para  encaminhar cerca de 180 toneladas de cobertores, bidões, lonas, ustensílios de cozinha e entrepostos prefabricados a bordo de um avião de tipo Iliouchine 76.
"Uma ponte aérea estabelecida a partir do Paquistão para canalizar tendas prossegue com o décimo voo sobre os 22 previstos", disse acrescentando que uma outra aeronave de tipo IL-76 que transporta 42 mil candeeiros chegou segunda-feira de Dubaï.
Quando os últimos voos provenientes da Dinamarca e do Paquistão forem efectuados, indicou, haverá no total 66 voos de urgência no Tchad este ano.
Por outro lado, o ACNUR e a organisação International Rescue Commitee acabam de concluir uma campanha de vacinação contra a polio e o sarampo nos campos circundantes da cidade fronteiriça tchadiana de Nahaï e começaram uma outra campanha para as crianças de cinco meses a 15 anos.
São necessários mais de 55,8 milhões de dólares para as operações no Tchad, disse.
Deste valor, lembrou, "recebemos até ao momento cerca de 27,8 milhões de dólares, que incluem as contribuições recentes de oito milhões dos Estados Unidos, 555 mil dos Países-Baixos, 121.
803 do Luxemburgo e 636.
943 da Nova-Zelândia".

13 Julho 2004 21:43:00




xhtml CSS