A situação na Líbia requer maior atenção da comunidade internacional, diz UA

Tripoli, Líbia (PANA) – O chefe de Estado mauritano e presidente cessante da União Africana (UA), Mohamed Ould Abdel Aziz, afirmou que a situação na Líbia exige uma maior atenção da comunidade internacional.

Falando sexta-feira na abertura da 24ª cimeira da UA na capital etíope, Addis Abeba, Ould Abdelaziz  indicou que a coordenação internacional deve continuar "até que as partes líbias cheguem  a um acordo para acabar com a crise e restaurar a autoridade do Estado e preservar  os interesses do povo líbio ".

Frisou igualmente a necessidade de se "excluir grupos classificados pela comunidade internacional como terroristas de qualquer processo político potencial na Líbia".

A Líbia tem a intenção de tirar proveito da tribuna que lhe oferecerá a 24ª Cimeira da UA aberta  quinta-feira em Addis Abeba, na Etiópia, para encontrar um eco ao apelo urgente ao apoio da comunidade internacional para combater o fenómeno do terrorismo cada vez crescente no país e ilustrado pelo para espetacular ataque ao Hotel Corinthia em Tripoli.

O Presidente Ould Abdel Aziz reiterou, no  seu discurso, o apoio da UA ao diálogo em curso sob a égide da Missão de Apoio das Nações Unidas na Líbia (MANUL), em Genebra, na Suíça, esperando que o mesmo chegue a "um consenso político global e durável para um Estado líbio unificado e permita reconstruir instituições democráticas no país".

Os protagonistas políticos líbios concluíram uma segunda ronda do diálogo inter-líbio em Genebra, sublinhando a necessidade da formação de um governo de unidade nacional e de tomar medidas de seguranças suscetíveis de restabelecer a confiança entre os Líbios e trazer de volta a estabilidade ao país.

-0- PANA BY/TBM/DIM/DD 31jan2015

31 Janeiro 2015 18:49:34




xhtml CSS