72,6 por cento das famílias cabo-verdianas têm casa

Praia- Cabo Verde (PANA) -- Um inquérito realizado em 2006 em Cabo Verde, divulgado quarta-feira na Praia, revela que 72,6 por cento das famílias do arquipélago têm casa própria.
O Inquérito ao Emprego (IE), que abrangeu indicadores sobre as condições de vida das famílias, indica que se verificam melhorias substanciais comparativamente a 2000.
O estudo, elaborado pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) com o apoio do Instituto Nacional de Estatísticas (INE), conclui que a posse da casa de banho e retrete está a tornar-se uma realidade em 47,8 por cento das famílias, apesar de ainda 45 por cento da população carecer dessas instalações nas suas residências.
No que se refere à origem de água para consumo, o IE constatou que continua a aumentar a proporção de famílias ligadas à rede pública, apesar de ainda continuar a existir uma boa fatia a utilizar a água recolhidas nos chafarizes.
O inquérito permitiu também constatar que, em relação à energia para iluminação, a utilização da electricidade sofreu um aumento substancial de 49,5 por cento, em 2000, para 60,1 por cento, em 2006.
Pelo contrário, o IE realça o facto de continuar a agravar-se a tendência verificada, em 2005, para a diminuição da proporção das famílias que utilizam o gás butano para a preparação dos alimentos (63,9 por cento em 2000 para 53,5 por cento em 2006).
No mesmo período, constatou-se um aumento na mesma proporção da lenha na cozinha em detrimento do gás butano.
Embora o IE não faça referência explicita às causas do aumento da utilização da lenha, sobretudo no meio rural, a maioria dos observadores atribuem a diminuição do uso do gás butano na confecção dos alimentos aos sucessivos aumentos do preço deste combustível em Cabo Verde.

29 Março 2007 13:06:00


xhtml CSS