60% porcento de infraestruturas hospitalares fora de serviço na Líbia

Tripoli, Líbia (PANA) – Cerca de 60 porcento dos hospitais públicos na Líbia estão atualmente fora de serviço devido ao conflito interno, denunciou domingo a Organização Mundial da Saúde (OMS), censurando ataques contra instalações médicas líbias.

Num comunicado divulgado domingo, a OMS renova a sua condenação do ataque ocorrido quinta-feira última perto do edifício do Hospital al-Jalaa de Benghazi, no nordeste líbio, causando mortos, feridos e danos materiais.

A OMS lançou um apelo a todas as partes no conflito para respeitarem a segurança dos trabalhadores e do pessoal médico e a sua imparcialidade, e preservarem a segurança dos estabelecimentos sanitários e a sua proteção, qualificando de "inaceitável" qualquer ofensiva contra estas infraaestruturas.

O coordenador humanitário das Nações Unidas interino na Líbia e representante da OMS,  Sayed Jaffar Hussein, exprimiu a sua profunda preocupação face a três incidentes registados nos últimos dias e que põem em perigo o acesso aos cuidados de saúde em Benghazi.

Exortou no entanto todas as partes desavindas a absterem-se de visar instalações médicas.

-0- PANA BY/JSG/MAR/DD 27junho2016

27 Junho 2016 13:26:19


xhtml CSS