30 jornalistas e 18 parlamentares mortos na Somália em quatro anos, segundo ONU

Mogadíscio, Somália (PANA) – No total, 30 jornalistas e 18 parlamentares somalís morreram na Somália em quatro anos devido à sua liberdade de expressão, indicou domingo último um
relatório mensal das Nações Unidas sobre a situação neste país do Corno de África.

Porém, o relatório de 59 páginas, estabelecido pela Operação das Nações Unidas na Somália (ONUSOM)  e pelo Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos, afirmou que a nova lei federal sobre a imprensa adotada em janeiro último garante várias liberdades.

O texto realça o papel das forças africanas de manutenção da paz na luta contra as milícias do movimento rebelde dos Shabab filiado na organização Al-Qaeda bem como operações em curso para garantir a segurança durante as próximas eleições presidenciais.

O ano de 2016 constitui um «  período essencial no processo  de transição política na Somália », lê-se no documento.

-0- PANA AD/IN/TBM/FK/DD 5set2016

05 Setembro 2016 12:10:01




xhtml CSS