22 por cento das mulheres vítimas de violência em Cabo Verde

Praia- Cabo Verde (PANA) -- Quase uma em quatro mulheres em Cabo Verde é vítima de agressão por parte dos cônjuges, representando uma taxa de 22 cento dos casos de violência doméstica no arquipélago, soube a PANA, quinta-feira, na Praia de fonte oficial.
Para fazer face a este problema e tentar baixar essa taxa, o Conselho de Ministros de Cabo Verde aprovou quinta-feira um Plano Nacional Contra a Violência Doméstica, que prevê mecanismos de tratamento e reinserção das vítimas deste fenómeno, sobretudo mulheres.
Embora se registem, por vezes, alguns casos de agressão perpetrada contra o cônjuge, o número de homens queixosos é, no entanto, ínfimo.
A porta-voz do Governo e ministra da Presidência do Conselho de Ministros e Defesa Nacional, Cristina Fontes, revelou em conferência de imprensa que estes números são idênticos aos da maior parte dos países do mundo, onde 25 por cento das mulheres são vítimas de violência doméstica.
A governante garantiu também que Cabo Verde não regista, nos últimos anos, um aumento de casos de violência doméstica, sublinhando haver um incremento de denúncias desses casos às autoridades.
Segundo estudos recentes, citados por Cristina Fontes, o alcoolismo, questões passionais e também o facto de alguns homens não reconhecerem "capacidades às mulheres" são as principais causas da violência contra as mulheres.
Para além da reinserção e tratamento das vítimas, o Plano Nacional Contra a Violência Doméstica prevê o reforço dos gabinetes de apoio e envolvimento das Organizações não Governamentais na luta contra o fenómeno.
Em Cabo Verde a violência doméstica está tipificada como crime no Código Penal, estando já a funcionar há algum tempo gabinetes de apoio às vítimas, nomeadamente no serviços de urgência dos hospitais que assegurados por agentes femininas da Polícia formadas nessa área.

30 Março 2007 11:35:00


xhtml CSS