156 mulheres candidatas às legislativas no Mali

Bamako, Mali (PANA) - Um total de 156 mulheres são candidatas às eleições legislativas malianas deste domingo, das mil e 141 candidaturas validadas, correspondendo a uma taxa de 14 porcento, revela o diário nacional "L’Essor".

Segundo o jornal, o problema do fraco acesso das mulheres aos cargos eletivos no Mali demonstra a disfunção a democracia maliana.

Os dados referentes às mulheres eleitas são implacáveis, enquanto as mulheres representam 51,2 porcento da população maliana, indica "L’Essor".

O boletim estatístico 2009 do Centro Nacional de Documentação e Informação sobre a Mulher e a Criança (CENDIFE), dá conta por seu turno de que dos 147 deputados eleitos em 2007, a Assembleia Nacional do Mali apenas contava 15 mulheres.

Dos 703 administradores, só oito são mulheres e há apenas 927 mulheres conselheiras comunais de um universo de 10 mil 774.

Elas perfazem além disso seis dos 75 conselheiros nacionais, duas dos 14 conselheiros da Câmara de Comércio e Indústria do Mali e três dos 32 conselheiros da Assembleia Permanente das Câmaras da Agricultura do Mali (APCAM).

Apesar do engajamento dos poderes públicos, da sociedade civil feminina e dos parceiros de desenvolvimento, a emergência política das mulheres está ainda longe de ser adquirida.

A mais forte taxa de candidatas às legislativas de domingo abrange o Distrito de Bamako com 20,71 porcento contra 8,14 porcento da região de Mopti que apresenta  a mais fraca taxa.

Na capital maliana, as candidatas são 41 para 157 homens, enquanto na região de Mopti elas são sete para 86 candidatos masculinos, 18 mulheres contra 165 homens na região de Kayes e 24 mulheres em 210 candidaturas da região de Sikasso.

-0- PANA GT/JSG/SOC/MAR/IZ 24nov2013

24 Novembro 2013 13:01:04




xhtml CSS