15 mil polícias ameaçam greve no dia de eleições presidenciais na Nigéria

Lagos, Nigéria (PANA) – Quinze mil polícias nigerianos ameaçam entrar em greve, a 28 de março corrente, dia das eleições presidenciais no país, para reclamar pelo pagamento dos seus salários em atraso, constatou-se no local.

"O único meio de obrigar o comandante-geral da Polícia a pagar-nos os nossos salários em atraso e outros subsídios é decretar uma greve no dia do escrutínio, quando o país mais precisará de nós. Se não, este problema será esquecido como outros", declarou ao diário privado Punch um dos polícias descontentes que não precisou o tempo de salário em atraso.

Segundo ele, mais de uma centena de polícias foram reformados sem receber as suas remunerações em atraso "e alguns de nós vão para a reforma em março corrente ou em abril próximo. O que significa que podemos não receber este dinheiro antes de deixar o serviço".

O porta-voz da Polícia, Emmanuel Ojukwu, deu antes garantias de que os agentes lesados seriam pagos logo que os seus serviços recebessem o dinheiro do Governo Federal.

"Estamos a trabalhar arduamente para pagar estes homens e eu posso garantir-lhes que eles receberão o seu dinheiro assim que o Governo nos pagar. Esperamos que o Governo nos pague para poder pagá-los também", explicou Ojukwu.

Com efetivos estimados em menos de 400 mil elementos, a Força da Polícia da Nigéria enfrenta imensas dificuldades para proteger uma população de 170 milhões de habitantes, pelo que  uma greve de um grupo de polícias "pode comprometer a segurança durante as eleições", segundo observadores da cena política na Nigéria.

-0- PANA SEG/FJG/JSG/FK/DD  03março2015

03 Março 2015 11:47:25


xhtml CSS