15 mil crianças centroafricanas escolarizadas mas ausentes em escolas nos Camarões

Doualá, Camarões (PANA) – Quase 15 mil crianças refugiadas centroafricanas matriculadas nos Camarões não retomaram as aulas desde o reinício escolar efetivo a 8 de setembro corrente”, denunciou o delegado regional do Ministério camaronês da Educação Básica para o Leste, Hermann Oba Biya.

« O futuro destes petizes refugiados centroafricanos no leste dos Camarões preocupa-nos ao mais alto nível. As crianças cuja idade oscila entre os zero e os oito anos, não têm maioritariamente boletins de nascimento nem documentos oficiais", afirma o delegado regional  da Educação para o Leste dos Camarões.

Também se referiu a outros que nunca frequentaram a escola, apesar às vezes da sua idade avançada, suscitando a mesma preocupação para a escola que  os deve acolher pela primeira vez , o que, a seu ver, dificulta a sua integração no sistema educativo camaronês.

Oba Biya evocou igualmente « a falta de infraestruturas suficientes para acolher todas estas crianças advogando ao mesmo tempo a construção, mesmo temporária, de espaços de aprendizagem nas zonas que as acolheram, a fim de garantir uma educação básica apropriada a estas crianças em dificuldades.

No seu entender, a escolarização dos mesmos necessita igualmente da contratação de professores voluntários.

« O Governo camaronês não pode sozinho satisfazer as necessidades escolares destas crianças. É preciso que os parceiros no desenvolvimento participem neste trabalho de escolarização de petizes”, deseja Hermann Oba Biya.

-0- PANA NNM/BEH/FK/DD 13set2014

13 Setembro 2014 07:19:28


xhtml CSS