11 árbitros africanos pesadamente sancionados por corrupção

Cidade do Cairo, Egito (PANA) – Onze árbitros africanos acusados de implicação em escândalos de corrupção foram pesadamente sancionados sábado pela Confederação Africana de Futebol (CAF), anunciou a mesma instituição no seu site oficial.

Dos culpados, o árbitro-assistente, Marwa Range (Quénia), é quem foi severamente tratado, com "uma exclusão vitalícia de qualquer atividade ligada ao futebol da CAF", lê-se no site.

Este árbitro foi selecionado para o Mundial de 2018, mas teve de renunciar devido à eclosão deste escândalo.

Ao árbitro Yanissou Bebou (Togo) e ao árbitro-assistente Jallow Ebrima (Gâmbia) foi infligida uma pena de 10 anos de suspensão, enquanto os da Côte d'Ivoire, do Mali, do Burkina Faso, da Mauritânia e do Níger, estão sujeitos a uma suspensão de dois a seis anos.

Outros estão provisoriamente suspensos "até quando forem examinados os seus casos pelo júri disciplinar a 5 de agosto de 2018", segundo a CAF.

-0- PANA YY/IN/TBM/SOC/FK/DD 10julho2018

09 Julho 2018 10:32:08


xhtml CSS